Bola Rolando

Bola Rolando

Bola Rolando

 

 

O avançar da bola dentro do campo, tocando cada vez os pés daquele que melhor sabe direcioná-la para a grande sacada do gol.

Afinal, bola que é bola, sempre fica na expectativa de ser a grande chutada de todos os tempos.

O melhor que ela sabe extrair,  é do drible “manero, ‘ daquele que se identifica com suas passagens aéreas  e bem posicionadas.

Se eu fosse a bola, seguiria o rumo junto aos pés de quem melhor me direcionasse,  para então, levar-me aos absurdos e estridentes gritos de alcance da melhor posição do gol.

Eu escolheria melhor os meus chutadores por pura e simples empatia, afinal, selecionaria os pés apressados e sedentos do virar o placar.

Placar incendiado de torcida que se transforma a cada chute na trave que passar adentro.

Esteja certo de que a parafernália de gritos e loucuras mil agitam o pedaço movido aos gritos de desespero de cada time.

Ah! se eu fosse a bola, seguiria na tragédia dos sedentos ao título, na ânsia de angariar os sussurrados gols de embate,  na alegre e decidida fornalha de ecos estridentes.

Tamanha é a condição das pernas que se encontram, se trançam, se chocam e até se quebram pelas bolas que querem lançar.

E as cabeças, tantas cabeças à pensar no melhor drible que a bola promete entrar.

Cabeçadas pela direita, esquerda , no centro e até na moleira tão dura que se entrega na promessa de arrancar os aplausos daqueles entregues na mesma sinfonia que compartilha na energia  do melhor lance.

É preciso ter garra e força para suportar a onda que tanto eleva ,quanto a faz rastejar.

Estou falando da bola de futebol, da bola que gosta dos chutes variados,do esporte favorito dos brasileiros que nem começam a andar e já começam a chutar o que  vem pela frente.

Tamanha é a ganância  que vem na companhia do chute,  que leva o que for preciso para dentro do gol.

Raciocine comigo se você costuma interpretar e comparar os seus lances diários como a bola que quer ser empurrada, chutada e solta aos pés de quem chegar.

Éh, bola que é bola, não vai de ré, às vezes alguns arranques pra trás, somente para enganar os adversários; assim, supera e dribla o que for preciso nesta grande jogada da vida que é o nosso campo de batalha…

Mili

 

 

 

 

 

 

 

,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *