Escondida atrás do muro

 

Escondida atrás do muro

Escondida atrás do muro

 

Sabe aqueles dias, que de nada adianta a incorporação dos estudos levados tão à sério, para que em algum dia possa  ser aplicado no caso da tal emergência,  que tanto nos assusta e intercepta as nossas decisões.
Tão camuflado fica o meu sexto sentido, não dando espaço para sentir o que está para vir e o que acaba de passar.
Fico então, inerte às sensibilidades que tanto aguçam as minhas prioridades e destilam as fórmulas apropriadas para cada decisão.

Será que o meu saber já não é mais necessário nesta jornada ou a reciclagem em todos os sentidos se faz urgente e necessária para um melhor aproveitamento deste ciclo.

Neste dia de hoje, visualizar e encaminhar as chamadas interiores é tão inconcebível quanto a minha arrumação externa.

Fico somente na percepção de minhas  verdades e  vontades não concluídas e  deixadas de lado à tanto tempo,  o que o tempo ainda não proporcionou-me.

Mesmo assim, persisto  na  renovação de conceitos,  um melhor aproveitamento do que sei extrair de cada ato que me proponho no reciclar.

Nada de pressa, se em algum dia disseram-me que somos seres eternos e de que nada adianta a pressa, tanto nos questionamentos, quanto nas decisões.

Nada de lançar-me em tragédias maiores, se dia após  dia, sou lançada às decisões a cada minuto de minha existência.

Não me canso de persistir em ser e fazer feliz.

Assim é que eu me encontro nesta noite de questionamentos e  maiores expectativas de felicidade.

E com você também acontece assim?

A vida está aí, ao nosso mercê e entregue como um lindo buquê de flores de todas as espécies e perfumes.

Depende de cada um de nós em colocar essas flores, onde melhor  combinem e se identifiquem, para poderem prestar também junto à nós o seu papel.

Raciocine sobre o seu ser, estar e mais querer!

Mili

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *